São Paulo proíbe a utilização dos jalecos fora dos hospitais

Médicos e Hospitais que desrespeitarem a Lei estarão sujeitos a multa pesadas

Estudo realizado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo demonstrou presença maciça de bactérias em jalecos médicos e do pessoal de apoio nas diversas areas do estabelicimento. Os resultados foram alarmantes: mais de 95% das vestimentas estavam contaminados. Entre as bactérias encontradas, a mais perigosa; a Staphylococcus aureus (MRSA), principal responsável pelas infecções hospitalares e falecimento dentro dos Centros de Saúde.

A pesquisa analisou as mangas e bolsos e detectou como sendo as áreas mais contaminadas das vestimentas e possibilitam a mudança entre ambientes dos micro-organismos dentro os Centros de Saúde. O estudo ainda levou em consideração a diferença entre os dias da semana. Segundo o levantamento, os jalecos apresentavam maior quantidade de micro-organismos na quinta-feira do que na segunda – o que indica que os profissionais da Área da Saúde utilizam a peça mais de uma vez e sem levar que os procedimentos de lavagem também são inadequados. O estudo indicou que os micro-organismos sobrevivem mais de 100 dias em tecidos utilizados nos hospitais.

Também o estudo comprovou que 90% dos estetoscópios utilizado para auscultar o coração estavam extremamente contaminados. Em outra pesquisa indicou que os aparelhos eletrônicos utilizados pelos profissionais possuíam mais bactérias do que os equipamentos utilizados pelo do restante da população fora dos hospitais.

Na Área da Saúde; o jaleco é considerado como um símbolo de status, as vezes como poder e diferenciação entre o médico e o paciente; só que isto tem que ser revisto pelo beneficio do paciente. No passado recente, os cirurgiões usavam aventais e quanto mais sujos com sangue, maior era o prestigio entre os colegas da profissão. Os profissionais consideram como um equipamento de proteção individual, que tem como finalidade de proteger o profissional da Saúde contra uma eventual contaminação pelo paciente.

Visite e conheça uma proposta para reduzir a infecção hospitalar no site

http://xgerms.com.br/produtos/UV-C%20Convection%20Sterilizer.pdf

Tecnologia Verde
A Tecnologia UV-C é uma importante arma para o combate e prevenção contra os micro-organismos em ambientes fechados e principlamente contra bioterrorismo sendo recomendado fortemente pela FEMA (Federal Emergency Management Agency), CDC (Centers for Disease Control and Prevention), ASHRAE (American Society of Heating, Refrigerating and Air Conditioning Engineers) e IUVA (International Ultraviolet Association)

Tecnologia UV-C é ecologicamente correta e sustentável sem uso de produtos químicos e tóxicos. Maiores informações no site:

http://www.xgerms.com.br

Leia outras reportagens sobre Tecnologia UV-C no blog
http://www.xgerms.wordpress.com

Esse post foi publicado em ambientes fechados, cloro, cloto, desinfecção, doenças, esterilização, flúor, hiper-bactérias, hiperbacterias, Infecções hospitalares, pneumonia, Profissionais da Saúde, super-bactérias, superbactérias, TB, tecnologia, Tecnologia Verde, tuberculose, ultravioleta, Uncategorized, UV-C, UVGI. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s