Gás Cancerigeno/Radiativo Radônio e SED – Síndrome do Edifício Doente…

…ou Doenças Relacionadas com a Edificação. É mais comum do que se imagina, relacionada com qualquer tipo de construção desde casas, apartamentos, empresas industriais ou comerciais, hospitais, escolas, igreja, bibliotecas e prisões; onde o ambiente está contaminado por micro-organismos, produtos químicos e elementos estagnados no ambiente causando gravidades aos ocupantes. Alguma vez você já sentiu súbita coceira nos olhos, dor de cabeça, nariz entupido, náuseas ou tosse seca, que corresponde ao tempo dentro de uma edificação? Já ouviu outros se queixarem dos mesmos sintomas e no mesmo lugar? Esta pode ter sido indicação de SED; ninguém está imune à má qualidade do ar em ambientes fechados.

Além do VOCs (Compostos Voláteis Orgânicos); um componente que não tem sido divulgado é o Gás Radônio (ou Radão/Radon); elemento derivado do elemento químico rádio (Rn); descoberto por Owens e Ernest Rutherford em 1.899. Gás nobre, incolor, inodoro, insípido e radioativo. Difunde-se em ambientes de convívio humano através das edificações pelos materiais de construção, solos, água podendo continuar seu processo de fissão emitindo partículas alfa, beta e gama, submetendo estes ambientes à existência de uma radioatividade. Sendo a segunda principal causa de câncer do pulmão nos Estados Unidos por inalação e não existem sintomas imediatos e sim ao longo do tempo – é um assassino furtivo; elevando-se a custos de saúde em mais de US $ 2 bilhões/ano neste item. Para se saber dos níveis no local deve realizadas testes; com Medidor Geiger ou equipamento adequado. O que agrava a situação são os sistemas de ar condicionado que renovam menos de 15% do ar existente no ambiente aprisionando o gás no seu interior; o que faz circular pelos demais locais no seu interior.

No Brasil não existe acompanhamento neste sentido; embora existam as Normas Regulamentadoras (NR 7, NR 9 e NR 32) do Ministerio do Trabalho e Emprego; que obrigue a fazer o Programa de Prevenção de Risco Ambiental (PPRA) e Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO); muitas empresas (comerciais e industriais) e entidades ainda se baseam somente no ruído. As empresas são obrigadas a emitir a cada seis meses o LTCAT – Laudo Técnico das Condições Ambientais de Trabalho. Tais são passíveis de indenizações aos trabalhadores e ocupantes e já existem processos em andamento.

Tecnologia Verde
A Tecnologia UV-C é uma importante arma para o combate e prevenção contra os micro-organismos em ambientes fechados e principlamente contra bioterrorismo sendo recomendado fortemente pela FEMA (Federal Emergency Management Agency), CDC (Centers for Disease Control and Prevention), ASHRAE (American Society of Heating, Refrigerating and Air Conditioning Engineers) e IUVA (International Ultraviolet Association)

Tecnologia UV-C é ecologicamente correta e sustentável sem uso de produtos químicos e tóxicos. Maiores informações no site:

http://www.xgerms.com.br

Leia outras reportagens sobre Tecnologia UV-C no blog
http://www.xgerms.wordpress.com

Esse post foi publicado em ambientes fechados, cloro, cloto, desinfecção, doenças, esterilização, flúor, Infecções hospitalares, pneumonia, Profissionais da Saúde, TB, tecnologia, tuberculose, ultravioleta, Uncategorized, UV-C, UVGI. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s