Poderia o seu aparelho eletrônico ser foco de doença fatal?

Investigações médicas científicas realizadas recentemente confirmaram que mais de 92% dos aparelhos eletrônicos (celulares, tablets, notebooks, laptoops, keyboards, filmadoras e máquinas fotográficas) estão potencialmente contaminadas por bactérias fatais; como: E. Coli, MRSA, VRE , Legionella, Bacilo de Koch (Tuberculose), Norovírus e Influenzas; podem causar desde intoxicação alimentar até levar a morte.

Exemplo: Vírus E. Coli é altamente contagiosa sobrevivendo nas mãos e superfícies por horas, especialmente em temperaturas quentes e é facilmente transferida por contato para maçanetas, aerotrasnportados pelo fluxo de ar, alimentos e celulares, passando para outras pessoas.

Pesquisadores enfatizam a necessidade de lavar as mãos com sabonete comum corretamente, em especial após ir ao banheiro; porque a bactéria E. Coli é de origem fecal. Todos os anos, milhares de pessoas sofrem de problemas gastro-intestinal originados por estas bactérias que podem ser fatais.

Ainda, dados comprovam que secadores de mãos não enxugam adequadamente levando as pessoas à seca-las em suas roupas havendo nova transferência de bactérias para as mãos. Os empresários ao instala-los nos banheiros estão pensando na economia; porém, na prática isto não funciona de forma adequada para a Saúde. O fluxo de ar é retirado do ambiente já contaminado por bactérias aerotransportadas e transferido para as mãos novamente.

Dr. Val Curtis da London School, disse: “Este estudo forneceu evidências de que as pessoas em geral, incluindo Profissionais da Area da Saúde, não lavam as mãos corretamente, especialmente depois de ir ao banheiro. As pessoas podem até reclamar de lavar as mãos regularmente e corretamente, mas os dados provam ao contrário.”

Um quarto dos aparelhos pesquisados continham a bactéria Staphylococcus aureus – encontrada naturalmente no nariz, boca e pele – o que pode mutar em um hospital para a superbactéria MRSA, enfatizando a necessidade de pacientes e visitantes a lavar as mãos em hospitais.

A Tecnologia UV-C pode ser aplicada aos aparelhos eletrônicos para a eliminação destas bactérias letais ao Ser Humano.

Tecnologia Verde
A Tecnologia UV-C é uma importante arma para o combate e prevenção contra os micro-organismos em ambientes fechados e principlamente contra bioterrorismo sendo recomendado fortemente pela FEMA (Federal Emergency Management Agency), CDC (Centers for Disease Control and Prevention), ASHRAE (American Society of Heating, Refrigerating and Air Conditioning Engineers) e IUVA (International Ultraviolet Association)

Tecnologia UV-C é ecologicamente correta e sustentável sem uso de produtos químicos e tóxicos. Maiores informações no site:

http://www.xgerms.com.br

Leia outras reportagens sobre Tecnologia UV-C no blog
http://www.xgerms.wordpress.com

Esse post foi publicado em ambientes fechados, cloro, cloto, desinfecção, doenças, esterilização, flúor, hiper-bactérias, hiperbacterias, Infecções hospitalares, pneumonia, Profissionais da Saúde, super-bactérias, superbactérias, TB, tecnologia, Tecnologia Verde, tuberculose, ultravioleta, Uncategorized, UV-C, UVGI. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s