Bactérias letais encontrados na rede de água pública!!

Quando você pensa que existem contaminantes na água que você usa dia-a-dia; crê que veio dos mananciais de água. Você pode estar enganado! Novos dados dos pesquisadores mostram que a maioria das bactérias encontradas na água potável, na verdade, vem dos filtros de estações de tratamento de água.

O estudo deu um amplo olhar para o abastecimento de água pública, da fonte ao uso final. O que os pesquisadores descobriram é que a maioria das bactérias na água que sai da torneira não veio dos aqüíferos ou rios, onde se originou, mas a partir de filtros em estações de tratamento destinadas a eliminar essas bactérias. Os pesquisadores esperam que as suas descobertas levem a processos de tratamento de água mais sustentáveis que utilizam menos produtos químicos (como o cloro e o flúor; nocivos e cancerígenos aos seres humanos) e resultem em água de torneira que contêm níveis mais baixos de subprodutos que representam riscos de saúde pública. Eles dizem que seu trabalho poderia eventualmente fornecer aos engenheiros a capacidade de controlar os tipos de micróbios na água potável, assim, melhorar a saúde global como “culturas vivas e ativas” em iogurte.

O estudo, liderado por Lutgarde Raskin, professor de engenharia civil e ambiental e que foi publicado online na Environmental Science & Technology, durou seis meses, em que os pesquisadores recolheram amostras de água potável em 20 pontos ao longo de seu caminho de águas subterrâneas e fontes, para um número de locais ao longo do ciclo de tratamento de água, e terminando em fontes de torneira. A equipe de bactérias colhidas a partir de cada amostra, em seguida, sequenciado o DNA bacteriano.

Os investigadores observaram que a água da torneira é carregada com bactérias, apesar de filtragem intensiva e os processos de desinfecção a partir da fonte para afundar que ocorrem na maior parte do mundo desenvolvido. Eles acrescentam que vazamentos ao longo da linha de abastecimento podem contribuir para microorganismos estranham entrem na tubulação que abastecem os estabelecimentos. Para esclarecer: bactérias multiresistentes com o gene NDM-1, resistentes a quase todos os antibióticos conhecidos, foram encontradas em amostras de água da rede pública.

Um dos principais objetivos agora em tratamento de água potável é matar todas as bactérias, porque não há a percepção de que todas as bactérias são ruins. Mas há um pouco de boa literatura científica que diz que há boas bactérias, bactérias inofensivas e bactérias ruins. Se nós podemos entender melhor os tipos de bactérias na comunidade microbiana da fonte ao toque e que os processos de controlá-lo, talvez possamos ser mais eficazes no controle de quais passam”, disse Ameet Pinto, professor da Universidade de Glasgow, que ajudou Raskin no projeto como parte do pós-doutorado.

Grande parte da investigação antes que incidiu sobre a água potável se concentrou em patógenos que causam doenças, disse Ameet Pinto. Bactéria Escherichia Legionella, Salmonella e E. Coli; não existem isoladamente, disse ele; seu destino depende em grande parte da comunidade microbiana que os rodeia.

As questões mais críticas são: De onde é que eles vêm? O que determina quais sobrevivem ao tratamento e acabam em nossa água potável? Estas questões não foram sistematicamente analisadas agora“, disse Ameet Pinto.

Certas desinfecções também podem ser prejudiciais

Os pesquisadores descobriram que “filtragem por carvão ativado” mais comum para o processo de filtração foram dominantes na determinação de que as bactérias se tornaram mais prevalentes na água da torneira. A equipe verificou que, por exemplo, o nível de Alphaproteobacteria foi encontrada em cerca de seis por cento na água de beber, mas de 38 por cento sobre os filtros e os 23 por cento da comunidade bacteriana na origem da torneira.

Este padrão se repetiu uma e outra vez, apesar de limpeza do filtro regular. Estas bactérias, foram capazes de formar biofilmes em filtros, em seguida, desfazer-se na água e sobreviver ao processo de desinfecção resultante.

Estações de tratamento tipicamente adicionam produtos químicos como o cloro para a água potável, mas esses desinfetantes podem reagir com substâncias que ocorrem naturalmente na água para formar subprodutos nocivos, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental, que estabelece “normas jurídicas exigíveis que se aplicam a sistemas públicos de água”, diz a agência em seu site. Porém, o cloro não é 100% efetivo para eliminar as bactérias; sua taxa é de 65% e sendo nocivo ao Ser Humano; bem como o flúor; e as autoridades sabem dos seus riscos e permitem o seu uso. Ao beber água clorada você mata grande parte da sua flora intestinal e afeta o pH do seu sangue.

Um assunto que não chega ao público é que a água publica pode estar contaminada com o cromo hexavalente, uma substância cancerígena; dependendo da região que você vive.

Famoso filme do ano 2.000 chamado” Erin Brockovich“, denúncia o que o cromo hexavalente causa sérias doenças; como a leucemia e câncer, a população e contamina o meio ambiente. Estima-se que um terço das fontes de água potável estão contaminados com elevadas concentrações de cromio hexavalente.

A desinfecção pode formar substâncias químicas nocivas na água potável, que perturbam o equilibrio do nosso organismo“, disse Chuanwu Xi, um professor associado de ciências da saúde ambiental na Escola de Saúde Pública, que ajudou Lutgarde Raskin; “a desinfecção por tecnologia de irradiação ultravioleta na Banda C (UV-C) elimina mais de 90% dos microorganismos enquanto o cloro eliminina em torno de 65% e é cancerígeno, é ideal ter-se esta tecnologia na sua casa, empresa e establecimentos para minimizar os riscos a saúde”.

A tecnologia para a desinfecção por irradiação ultravioleta UV-C tem-se provado que ser um método de confiança durante muitos anos nos países de Primeiro Mundo; enquanto no Brasil continuamos a usar produtos qiímicos cancerígenos com o cloro e o flúor. Recomenda-se a instalação que se instale no depósito de água (caixa d’água) este equiapmento para erradicar os microorganismos nocivos à saúde humana.

Fonte:
Natural News

http://www.naturalnews.com/036978_water_treatment_filters_bacteria.html http://www.naturalnews.com/037007_hexavalent_chromium_California_drinking_water.html

Esterilizador UV-C para reservatórios e caixas d’água — Leia no site: https://xgerms.wordpress.com/2011/11/22/lancamento-xgerms-esterilizador-uv-c-para-reservatorios-e-caixas-dagua/

A Tecnologia UV-C é uma importante arma para o combate e prevenção contra os microorganismos em ambientes fechados e principalmente contra bioterrorismo recomendado fortemente pela FEMA (Federal Emergency Management Agency), CDC (Centers for Disease Control and Prevention), ASHRAE (American Society of Heating, Refrigerating and Air Conditioning Engineers) e IUVA (International Ultraviolet Association)

Tecnologia UV-C é ecologicamente correta e sustentável sem uso de produtos químicos e tóxicos. Maiores informações no site:

Anúncios
Esse post foi publicado em acidez, alcalina, ambientes fechados, água, água alcalina, câncer, cloro, cloto, desinfecção, doenças, esterilização, flúor, hiper-bactérias, hiperbacterias, Infecções hospitalares, pH, pneumonia, Profissionais da Saúde, sangue, super-bactérias, superbactérias, TB, tecnologia, Tecnologia Verde, tuberculose, ultravioleta, Uncategorized, UV-C, UVGI e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s